Resultados da sua busca

A QUE DEVEMOS ATENTAR PARA REINAR

02/03/2018

Ter, viver e fazer crescer a vida de Deus

Pedro, em sua experiência, diz-nos ser necessário rejeitar nossa vida da alma; ela precisa diminuir para que a vida de Deus cresça em nós. O apóstolo nos mostra que o quanto rejeitamos e negamos nossa vida da alma determina o quanto da vida divina ganhamos. O desejo de Pedro em suas epístolas é impressionar-nos quanto à importância de termos mais da vida divina em nós e menos de nosso ego. Esse desejo não foi resultado de uma visão, mas de sua vivência enquanto andava com o Senhor (Mateus 16:24).
Por um lado, Pedro nos diz que devemos negar a nós mesmos; por outro, apresenta-nos a maneira de sermos enchidos com a vida de Deus.

A melhor maneira é estar na posição correta: debaixo do dispensar do Deus Triúno, revelado em 2 Pedro 1:3-4. Uma vez recebido esse dispensar, precisamos reunir toda nossa diligência para que algo aconteça, nossa entrada no reino se torne real à medida que associamos as virtudes divinas à nossa fé. Se essa for nossa prática, dia a dia estaremos ampliando nossa entrada no reino eterno de nosso Senhor Jesus Cristo (vs. 5-11).

Tudo que Pedro nos apresenta desde sua primeira epístola até a segunda tem como objetivo ajustar nosso objetivo de vida. Nossa vida espiritual começou com a regeneração e o seu desenvolvimento culminará com a entrada no reino eterno. Essa é a ênfase de Pedro ao escrever suas epístolas quando já amadurecido: que entremos no reino eterno; não como convidados, mas como protagonistas principais e correis com Cristo.

Os requisitos para entrar no reino eterno

Ter a vida de Deus, nascer de novo, esse é o primeiro passo para alcançar o reino eterno. Após isso, precisamos avançar, a vida divina precisa ser manifestada em nosso viver. O Senhor Jesus foi nosso modelo, expressou a vida do Pai enquanto esteve em carne na terra (João 1:1, 14). Além de termos a vida e natureza de Deus, para entrar no reino precisamos cumprir alguns requisitos: negar o ego, ser diligentes, atingir a expressão máxima da vida divina, o amor ágape (amor de Deus), ser ativos e dar frutos espirituais, entre outras exigências que a Bíblia nos mostra.

Viver a realidade da vida da igreja também constitui um fundamento relevante que garante nossa entrada na manifestação do reino. Na era atual, a igreja é o antegozo do reino, a realidade do reino eterno. Portanto, se de fato quisermos participar da manifestação do reino, precisamos buscar ter uma vida da igreja normal hoje.

Ser um vencedor, no contexto da experiência de Pedro, bem como no de seus escritos, requer de nossa parte uma diligência cada vez maior (2 Pedro 1:10).

Um vencedor é alguém que cresceu na vida divina e negou sua vida da alma. Ao mesmo tempo, é aquele que expressa a natureza divina em sua humanidade. Isso o qualificará a obter como galardão a entrada no reino eterno de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Por fim, a entrada no reino eterno, assim como a introdução de novos céus e nova terra estão totalmente relacionadas com o arrependimento dos homens. Em seu último capítulo, Pedro mostra a necessidade de arrependimento para que o Senhor possa voltar (2 Pedro 3:9 -13). Que atendamos o chamado de Pedro ao arrependimento e, então, apressemos a vinda do Senhor Jesus!

Assine já o Jornal Árvore da Vida. Para assinar Clique Aqui

As propagandas exibidas neste site são baseadas nos interesses do usuário, coletadas pelos mecanismos de busca durante a navegação, por isso o conteúdo delas pode variar.