“Meu bem, meu celular está descarregando; você poderia carregá-lo para mim!?” Esse foi o pedido de uma esposa a seu marido. Enquanto ia atrás do recarregador de bateria, ele começou a se perguntar: “O que aconteceria se a bateria do celular dela descarregasse completamente? O que ela deixaria de fazer?” Percebeu que:

Se o celular não estiver com a bateria carregada, a esposa não poderá fazer chamadas, tampouco receber e um dos grandes benefícios de se ter um celular é comunicar-se. Também não poderá enviar ou receber mensagens nem tirar fotos para registrar momentos especiais.

Depois que o marido colocou o celular para recarregar, concluiu de sua reflexão que os cônjuges precisam constantemente carregar a bateria do casamento, para que não ocorra prejuízo em várias de suas funções. Falar e ouvir, enviar e receber mensagens, registrar momentos maravilhosos que os dias do casamento proporcionam são alguns dos itens que certamente seriam afetados. Diante disso, cada cônjuge precisa se sentir responsável por carregar seu casamento a fim de que suas funções essenciais sejam preservadas.

Como os casais podem manter seu casamento carregado? Dentre as muitas maneiras de se fazer isso, os cônjuges podem carregar o casamento sendo, por exemplo, respeitosos um com o outro. Somos respeitosos quando cumprimos as promessas que fazemos, quando poupamos o cônjuge de desgastes necessários, quando reconhecemos suas limitações, quando observamos suas necessidades e as levamos em consideração. Os casais também exercitam o respeito entre si quando são tolerantes, justos e quando não expõem aos outros as deficiências de seu companheiro.

Os cônjuges carregam o casamento quando agradecem e quando demonstram gratidão. É lamentável que, depois de todo o esforço de um trabalho prestado, de uma roupa passada, de uma refeição preparada, de um pedido qualquer que tenha sido atendido, a pessoa beneficiada não dê nem sinal de reconhecimento. Mais triste do que não agradecer é criticar o que foi feito. Ao agradecer a nosso cônjuge as pequenas e grandes coisas que nos faz, estamos carregando nosso casamento. Se abrirmos os olhos, veremos um milhão de motivos para agradecer a nosso cônjuge.

Os cônjuges também carregam o casamento quando se doam. Só é possível doar-se ao outro quando uma das partes deixa de olhar para suas próprias necessidades. Se o tempo todo insistirmos em querer ser o centro, é lógico que não teremos olhos para mais ninguém — mesmo que essa pessoa esteja tão perto, a ponto de dormir conosco. Alguém egoísta sempre terá dificuldades em perceber quem apagará a luz, quem fechará a janela, quem trará a água, quem se preocupará em suprir as carências físicas e emocionais do outro, quem dará boa noite e quem, por fim, dirá: “Se precisar de alguma coisa na madrugada, basta me chamar”. O cônjuge ciente de que precisa carregar seu casamento não terá dúvidas de que é ele que vai realizar tudo isso. E o mais impressionante é que isso não lhe será um fardo.

Os casais devem sempre estar atentos ao nível de energia presente para decidir se já não é hora de carregar o casamento. Que Deus, a fonte de tudo, carregue os casais com Seu grande amor!

Assine já o Jornal Árvore da Vida. Para assinar Clique Aqui