Resultados da sua busca

COMO AJUDAR UM JOVEM AMIGO

11/10/2019

Certa vez, um jovem que cuidava de outros ainda mais jovens, perguntou a um irmão experimentado nesse tipo de cuidado como deveria fazê-lo, ao que este lhe respondeu contando algo que lhe acontecera. Disse-lhe que conhecera certo jovem que apesar de amar muito o Senhor, possuía várias deficiências em seu caráter. Por um lado, ele era ativo e animado nas reuniões da igreja, por outro, era relaxado em seu caráter quando os outros não o estavam observando.

As brechas no caráter precisam ser reparadas

O irmão experiente sempre dizia a esse jovem que o fato de ser ativo nas reuniões da igreja não anulava a necessidade de ele lidar com suas deficiências de caráter, pois Deus não somente o observava nas reuniões da igreja, mas em todos os lugares. Ele precisava reparar essas brechas para, de uma maneira mais completa, agradar o Senhor não manchando Seu nome diante dos homens.

Aquele jovem pensava que isso não influenciaria em sua utilidade para com Deus (Mateus 23:23-28), mas se quisermos ser úteis ao Senhor, precisamos permitir que Deus trabalhe em nosso caráter. Como exemplo disso, a Bíblia relata que o Senhor não se agradou de Caim e de sua oferta, ao passo que de Abel e sua oferta, Ele se agradou, o que expressa como Deus primeiramente se preocupa com o que somos e, depois com o que fazemos (Gênesis 4:2-5).

Os jovens precisam enxergar a necessidade de ser aperfeiçoados

Isso nos traz uma importante lição: não podemos simplesmente dizer aos jovens em quais itens de sua vida eles devem mudar. Devemos ajudá-los a perceber a necessidade de mudança; assim desejarão ser trabalhados e aperfeiçoados.

Precisamos reavaliar nossas ferramentas de trabalho

Aquele jovem sempre errava. Por mais que ele se esforçasse para acertar, sua natureza sempre o levava a cometer os mesmos erros, o que o deixava muito triste. Por alguns momentos, o irmão que cuidava dele pensava em tratá-lo com dureza e rigor. Porém, na comunhão com o Senhor e leitura da Bíblia, percebia que essa não era a maneira de Deus agir com as pessoas. Deus trata com amor que é suficiente para ajudá-las. Encorajamos a todos que cuidam de jovens a ler com atenção nos evangelhos as passagens que mostram a maneira como o Senhor Jesus cuidava das pessoas, pois tais passagens são inspiradoras.

Devemos amar os jovens e tratar com seus problemas

Todos fomos influenciados negativamente pela a natureza do pecado. Ela nos leva a cometer erros e desagradar a Deus. É dela que devemos nos livrar e não dos que a possuem. Devemos tomar muito cuidado para não derramar nossa ira sobre os que foram comprados por Deus com o Seu precioso sangue (Atos 20:28), mas amá-los, e ajudá-los a lidar com sua natureza maligna.

Para cuidar de jovens, precisamos orar a Deus para que Ele ilumine nossos passos (Colossenses 4:12). Devemos também nos gastar em prol deles. “Eu de boa vontade me gastarei e ainda me deixarei gastar em prol da vossa alma” (2 Coríntios 12:15). Devemos amá-los como o Senhor amou os discípulos: “Tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até o fim” (João 13:1).

Nossa responsabilidade

Deus espera que Lhe apresentemos pronto cada jovem, que Ele nos confiou, para ser usado em Sua obra. Eles são os futuros cooperadores de Deus no estabelecimento de Seu reino. Portanto, amado jovem, renove sua disposição no cuidado com os outros jovens que precisam de você. Não os julguem pelos seus erros, sejam pacientes. Não sejam como aquele servo que o Senhor lhe confiou seus conservos e em vez de cuidar deles e alimentá-los passou a espancá-los. Sejam servos fiéis e prudentes que cuidam de seus jovens conservos com amor (Mateus 24:45-47). Essa responsabilidade requer esforço, dedicação e muito, mas muito amor. “Agora, me regozijo nos meus sofrimentos por vós […] a fim de que apresentemos todo homem perfeito em Cristo; para isso é que eu também me afadigo, esforçando-me o mais possível” (Colossenses 1:24, 28-29).

Assine já o Jornal Árvore da Vida. Para assinar Clique Aqui

As propagandas exibidas neste site são baseadas nos interesses do usuário, coletadas pelos mecanismos de busca durante a navegação, por isso o conteúdo delas pode variar.