Conferência em Belo Horizonte

TEMA GERAL: Gálatas – A Filiação

Noite de sábado, 21 de março de 2015

Mens. 23 – A carne milita contra o Espirito
Gl 5:16-18

Texto não revisado

Graças ao Senhor que o espirito dos irmãos está muito forte e contagiante. Este é o Espirito do filho que está em nós, por isso nós podemos clamar aba pai.

Gálatas é um livro muito importante, trata-se da fuselagem do avião da economia de Deus. O ponto mais importante aqui é a filiação plena.

O livro de Efésios e Colossonses são as duas asas do avião. Colossenses nos mostra o mistério de Deus, que é Cristo, e Efésios nos mostra o mistério de Cristo, que é a igreja.

Ainda temos o alvo, a meta, que equivale a cabine de comando do avião: livro de Filipenses. Cristo é o nosso alvo.

Para o avião decolar ainda temos a pista. Filemon representa esta pista, pois fala do amor.

Paulo teve uma forte experiência na prisao, e vemos que quando estava em Roma, aguardando o andamento do seu processo e julgamento final, ele não parou de pregar o evangelho. Ele pregava para os soldados, presos ou qualquer um que surgisse em sua frente. Quase toda a guarda pretoriana já havia recebido o evangelho, enquanto Paulo esteve ali.

Paulo tinha o espírito do evangelho. Foi neste ambiente que ele encontrou Onezimo, um escravo que havia roubado o dinheiro de seu dono, e por consequência fora preso. Assim ele pregou o evangelho para Onezimo e cuidou dele com muito amor, até que este foi transformado.

Paulo escreveu a carta de Filemon e entregou a Onezimo para que ele entregasse para o seu dono. Onezimo, que antes era inútil, agora se tornou util para a pregação do evangelho.

Enquanto Paulo esteve preso aproveitou para escrever estes quatro livros importantíssimos: Galatas, Colossenses, Efesios e Filemon.

Tudo isto indica que precisamos correr a nossa carreira sem olhar para trás nem para os lados. Cristo deve ser o nosso alvo a todo tempo, ganhá-lo e crescer nele.

Também precisamos desenvolver o amor, assim como Paulo demonstrou na sua experiência com Onezimo.

A filiação é ponto principal de Galatas. Isto, no entanto, não pode ser tomado como um título por nós, mas como uma visão daquilo que o Senhor está trabalhando em nós para alcançarmos a condição de herdar o seu reino.

A visão que deve nos governar está em Hb 2:1-5. Deus quer nos entregar o mundo que há de vir, não mais a anjos. Temos visto que o governo dos anjos já fracassou, quando o arcanjo Lucifer se orgulhou e caiu. Ele alcançou uma posição muito elevada no mundo de outrora, mas a sua vida da alma se elevou e ele quis ser igual a Deus.

Devido a queda deste governo o mundo presente sofre com as terríveis consequencias do maligno. Hoje não há paz em nenhum lugar do mundo, os conflitos entre as nações são subsequentes, um atrás do outro. Um exemplo é a guerra do Iraque, onde os EUA invadiu aquele país com o argumento de possuírem armas químicas, fato que não foi comprovado posteriormente.

O príncipe deste mundo é terrível, e não permite que haja paz no mundo.

Apesar deste contexto todo, Deus nos colocou aqui na América do Sul, e aqui é um lugar protegido e separado por Deus para ser um lugar de refúgio para as pessoas.

Hoje Deus está investindo em seus filhos. Ele depositou a sua vida em nós e agora espera que cresçamos nesta vida. Enquanto não crescemos temos apenas o título da filiação, mas quando crescemos nós temos a realidade.
Gálatas nos mostra que precisamos crescer em vida até o ponto de podermos dizer: não mais eu, mas Cristo vive em mim.

Na experiência de Paulo com Barnabé pregando o evangelho na região da Galácia muitos irmãos foram gerados. Mas pouco a pouco começaram a aparecer os judaizantes, e estes influenciaram negativamente os Gálatas. Eles Começaram a introduzir práticas como a circuncisão no meio das igrejas.

Paulo então escreveu o livro de Gálatas para ajudar os irmãos a viverem no espírito, abandonando as obras da carne.

O que nós precisamos é viver no espirito para anular a nossa carne. Temos o espírito do filho e podemos agora crescer em vida, vivendo verdadeiramente a filiação.

Manhã de domingo, 22 de março de 2015

Mens. 24 – Amar o próximo como a si mesmo

Gl 5:13-15

Texto não revisado

Hoje estamos ministrando a última mensagem no livro de Gálatas. Esperamos dar uma boa conclusão para este livro.

A história dos Gálatas começou quando Paulo e Barnabé foram enviados pelo Espirito Santo para pregar o evangelho naquela região da Asia.

Eles partiram de Antioquia, uma esfera muito espiritual e de muita oração. Barnabé tinha muito encargo em investir jovens promissores, por isto ele buscou Paulo em Tarso, At 11:25, e o envolveu na igreja em Antioquia.

Em At 13:1-3 narra o momento do enviar do Espirito, e também a forte esfera de oração e serviço em que eles estavam envolvidos.

Na primeira viagem levaram consigo a João Marcos, At 13:5. Muito provavelmente passaram por grandes tempestades no mar, com ameaças de naufrágios e problemas de toda ordem, fato que levou o jovem Joao Marcos desistir de prosseguir e voltar para Jerusalém, At 13:13.

Neste contexto foram geradas as igrejas da Galácia, inicialmente: Listra, Derbe e Iconio. Paulo e Barnabé tinham graça para perseverar e superar todas as dificuldades. Eles apresentaram o evangelho completo para os Gálatas, demonstrando tanto o aspecto do sangue como o aspecto da vida.

Depois Paulo e Barnabé retornaram para Antioquia. Quando decidiram sair para uma viagem de retorno as cidades que foram alcançadas inicialmente, houve divergência entre Paulo e Barnabe no tocante a João Marcos, At 15:36-41. A partir desta controvérsia, Barnabé segue cooperando com João Marcos e Paulo passa a ser acompamhado por Silas. Posteriormente João Marcos foi citado positivamente por Pedro, 2 Pd 5:13, e pelo proprio Paulo, 2 Tm 4:11.

Percebe-se ainda neste contexto, que os Gálatas, recém alcançados pelo evangelho, passaram a receber influência da lei e da religião, por isto escreveu o livro de Gálatas com palavras fortes para trazê-los de volta para o verdadeiro evangelho, que tem como foco a plena filiação.

Este evangelho visa tratar não apenas com o pecado, mas também com a vida do velho homem, Gl 2:19-20. Esta é a maneira de tratar com a nossa carne, levá-la a morte.

O evangelho que Paulo pregou não é um evangelho tradicional, mas aquele que nos introduz na morte eficaz do nosso Senhor Jesus.

A circuncisão e as práticas da lei representam tudo o que diz respeito ao velho homem. Estas coisas só podem nos causar dor e peso. Por outro lado, viver Cristo é muito melhor.

Também Paulo advertiu os Gálatas a se voltarem ao espírito, pois eles haviam começado no espirito e não deveriam mais voltar ao rudimentos da carne.

Já fomos crucificados com Cristo para agora vivermos a filiação. Temos visto, no entanto, que isto ainda é uma posição para nós, título, mas falta se tornar a nossa realidade, o nosso viver.

Como viver hoje a realidade de filhos de Deus? Precisamos viver a vida da igreja, ser ajudados, aperfeiçoados, e crescermos em vida.

Este caminho está muito claro em Gl 4:1-7. Ainda somos menores, crianças, precisamos da orientação dos irmãos, que são como professores (mestres) e também nossos cuidadores (mordomos), que nos alimentam para crescer. Assim iremos atingir a maioridade e a condição de recebermos a herança.

Estes irmãos que cuidam de nós, nos ensinando a liberar o espirito, servir, ser colportores, sao na prática estes tutores e curadores.

Na vida da igreja nós precisamos de aperfeiçoamento. Por exemplo temos o Ceape, que é um lugar que reúne todas as condições para nos aperfeiçoar, nos tornar colportores.

Um colportor é como um sumo sacerdote, alguém que leva Deus aos homens. Na idade medieval surgiu a figura dos colportores, quando a Bíblia ainda estava restrita ao clero catolico. Eles carregavam sacolas no peito com os manuscritos sagrados e levavam para as pessoas. Esta figura assemelha-se ao éfode do sumo-sacerdote, que continha os nomes das 12 tribos de Israel.

O Sumo sacerdote carregava consigo o Urim e o Tumim, que significa a palavra revelada, que decide, que dicerne, Ex 39.

Vemos assim que a posição de um colportor é muito elevada, pois carrega no peito todos os filhos de Deus. Esta é a uma questão de responsabilidade, suprir os filhos de Deus.

Este é o sentimento do livro de Gálatas. A igreja precisa ser um lugar cheio de ministros de Deus. Todos nós devemos anelar alcançar este aperfeiçoamento. Por exemplo, nesmo alguém que tenha como profissão ser um médico, ele precisa ser um médico colportor, que se preocupa em suprir vida para as pessoas.

Estamos concluindo o livro de Galatas. De fato precisamos obter a realidade de sermos filhos de Deus. A vida da igreja precisa ser um lugar cheio de amor e cuidado. Tudo isto acontece por meio do Espirito, entrar neste Espirito da filiação. Quanto mais Espirito, mais vida, e o resultado desta experiência será o amor. A realidade desta vida é o amor uns pelos outros.

A manifestação da vida é o amor. Creio que o Espírito vai nos liderar a entrar neste conteúdo de Gálatas para ganharmos a realidade deste viver.

Na vida da igreja nós servimos uns aos outros e devemos ter sempre uma atitude de amor. Quando alguém comete um erro, por mais grave que seja (por exemplo: adultera), mesmo assim devemos ter a atitide de resgatar esta pessoa pelo amor.

A vida da igreja é um lugar onde se manifesta o amor. Por um lado nós tocamos no espirito por meio do invocar o nome do Senhor, mas por outro lado manifestamos o amor de maneira prática, palpável. O grande sinal de que a vida divina está crescendo em nós é o amor. Desta forma seremos capazes de amar a todos, até mesmo os animais e toda a criação de Deus.