Resultados da sua busca

TRATAMENTO PARA A VELHICE ESPIRITUAL

22/03/2019

Recentemente, houve um grande desenvolvimento da ciência médica, no âmbito da estética e do rejuvenescimento. Por algum motivo, algumas pessoas estão muito preocupadas com os sinais da idade, como rugas na pele, por exemplo. Outros concentram seus esforços não tanto em cuidar da aparência, mas sim da saúde geral do corpo.

Aos olhos do mundo, a aparência saudável de uma pessoa pode ser até importante, porém mais importante do que isso é a condição interior do ser humano – a saúde do espírito. Quando nossa saúde espiritual está prejudicada, nosso relacionamento com Deus sofre. Por isso, como cristãos, devemos estar atentos para identificar, em nós mesmos, os sinais de envelhecimento espiritual.

Um dos principais indícios de velhice espiritual é a perda do primeiro amor para com o Senhor Jesus. No livro de Apocalipse, há uma advertência específica que o Espírito dirige à igreja em Éfeso sobre esse assunto. Embora os irmãos fossem perseverantes, sem esmorecer diante das provas, a ponto de rejeitar aqueles que desagradavam a Deus, receberam uma advertência do Espírito, pois haviam perdido o primeiro amor. Quando estamos nessa situação, discutimos sobre o que é certo ou errado, questionando, mesmo que indiretamente, a vontade do Senhor; consequentemente, perdemos o foco necessário para segui-lo e andamos conforme nosso próprio parecer.

Em princípio, esse sutil desvio pode não aparentar ser tão prejudicial, mas suas consequências são sérias. Aos olhos do Senhor, a perda do primeiro amor era motivo suficiente para remover o candelabro da igreja em Éfeso, ou seja, retirar Seu testemunho daquele lugar. Por isso, o Espírito admoestou a igreja a que se arrependesse, voltando à prática das primeiras obras. Devemos estar atentos para o fato de que, mesmo fazendo coisas que consideramos agradáveis a Deus, nosso amor por Ele pode se esfriar.

Não nos deixemos iludir pelas atividades espirituais em que estamos envolvidos, pois o Senhor sonda nosso coração. Quando nosso amor pelo Senhor está em uma situação normal, nós O seguimos com simplicidade, sem questionar a maneira como Ele nos conduz, nem o fim para onde nos levará. É como disse o profeta Jeremias ao povo de Israel no Antigo Testamento, por ordem de Deus: “Vai e clama aos ouvidos de Jerusalém: Assim diz o SENHOR: Lembrome de ti, da tua afeição quando eras jovem, e do teu amor quando noiva, e de como me seguias no deserto, numa terra em que se não semeia” (2:2). Quando perdemos o primeiro amor pelo Senhor Jesus, aos poucos deixamos de segui-lo e Ele não deseja que isso aconteça. No caso da igreja em Éfeso, felizmente sua condição foi restaurada à normalidade do primeiro amor com a ajuda do apóstolo João, em sua maturidade. As palavras de João revelam um caminho para que nós também restauremos nosso primeiro amor pelo Senhor. Em primeiro lugar, devemos voltar a ter contato com a vida de Deus, utilizando nossos sentidos para manter comunhão com o Senhor (1 João 1:1-4). Deus é amor (4:16). Quanto mais da vida de Deus ganharmos, mais amor teremos. Isso fazemos ao ler a Palavra, ouvi-la, nela meditar, contemplando o Senhor e O contatando por meio do Espírito. Invocar o nome do Senhor e tomar a Palavra com oração são maneiras simples de tocar em Deus e ser supridos com Espírito e vida. Desse modo, espontaneamente reconhecemos que a origem de nosso amor pelo Senhor é o amor Dele por nós. “Nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou e enviou o seu Filho como propiciação pelos nossos pecados […] Nós amamos porque ele nos amou primeiro” (1 João 4:10, 19). Graças a Deus! Que sejamos renovados em nosso espírito, para mantermos uma comunhão sempre nova e cheia de amor com nosso Senhor.

Assine já o Jornal Árvore da Vida. Para assinar Clique Aqui

As propagandas exibidas neste site são baseadas nos interesses do usuário, coletadas pelos mecanismos de busca durante a navegação, por isso o conteúdo delas pode variar.