Resultados da sua busca

UM EXEMPLO A SER SEGUIDO


26/04/2019

“E aconteceu que, ao se completarem os dias em que devia ele ser assunto ao céu, manifestou, no semblante, a intrépida resolução de ir para Jerusalém” (Lucas 9:51).

      A MANIFESTAÇÃO DO LADO BOM DA VIDA DA ALMA É PARA IMPEDIR O CUMPRIMENTO DA VONTADE DE DEUS


    
Querido leitor, o título da coluna Sete cestos desta edição em diante será Ouvir e praticar. O objetivo desta coluna é ajudá-los a praticar a Palavra de Deus. Ler é muito bom, mas praticar faz de nós homens prudentes que edificam sobre a rocha. Tenham um bom desfrute e uma excelente prática.
   Quando o Senhor Jesus expressou o desejo de ir para Jerusalém por ocasião da Páscoa, Pedro tentou impedi-Lo (Mateus 16:21). A atitude de Pedro se devia ao fato de ele amar o Senhor e não querer que Ele sofresse nas mãos dos principais sacerdotes e escribas, fosse condenado e morto; por isso, chamando-O à parte, começou a reprová-lo dizendo: “Tem compaixão de ti, Senhor; isso de modo algum te acontecerá” (v. 22).
     Pedro tinha um bom coração, e, embora sua intenção fosse preservar a vida do Senhor, suas palavras eram provenientes do lado bom de sua vida da alma. Como sabemos, Satanás também se aproveita dessas “boas intenções” para tentar impedir Deus de cumprir Sua vontade. O Senhor, porém, discerniu a origem das palavras de Pedro e, voltando-se, disse-lhe: “Arreda, Satanás!” (v. 23).
    Satanás, o inimigo de Deus, tentou impedir Jesus de ir a Jerusalém porque sabia que aquela era a vontade de Deus. Ele sabia que, se Jesus morresse, produziria muitos filhos (João 12:24).
   A exemplo do que ocorreu com Pedro, precisamos aprender a seguinte lição: quando vivemos pelo nosso ego, damos chance a Satanás de sermos usados por ele, e, com isso, a vontade de Deus em nossa vida não é cumprida. Devemos atentar para o perigo de nossas boas intenções, opiniões, costumes etc. (Romanos 7:13). Com a ida do Senhor Jesus para Jerusalém e Sua posterior morte, o problema dos pecados do homem, bem como seu velho homem, seriam solucionados na cruz. Além disso, a morte do Senhor traria vida ao homem (Efésios 2:1).
    Por saber dos benefícios que a ida do Senhor Jesus a Jerusalém traria ao homem, Satanás, com sua astúcia, tentou impedi-la, usando o lado bom da alma de Pedro. Sabedor disso, o Senhor repreendeu, não a Pedro, mas a Satanás, pois sabia que aquelas palavras tinham origem nele. A boa parte do ser natural de Pedro foi usada pelo Diabo, para tentar impedir Jesus de ir até a cruz morrer por nós.
   O lado mau de nosso ser natural é facilmente percebido e rejeitado. No entanto o lado bom é quase imperceptível, e, por essa razão, Satanás, constantemente, faz uso dele. Por vezes, nossa atitude se assemelha muito à de Pedro quando expressou compaixão dizendo: “Ó Senhor, tem misericórdia de Ti mesmo. Você não vai ser crucificado porque não merece! Você é meu mestre, eu não vou permitir que isso aconteça”.

    O SENHOR JESUS É O NOSSO MODELO DE DETERMINAÇÃO PARA CUMPRIR A VONTADE DE DEUS
     O Senhor Jesus, porém, estava determinado a ir para Jerusalém porque sabia que aquela era a vontade de Deus. Mesmo sabendo que haveria muito sofrimento por parte dos anciãos, principais sacerdotes e escribas, Ele não recuou. Além disso, Ele sabia que seria crucificado e morto; mesmo assim, não desistiu, mas prosseguiu resoluto em cumprir a vontade do Pai.
     Louvado seja o Senhor por Sua determinação, pois ela resultou no perdão de nossos pecados, o fim do velho homem e o recebimento da vida de Deus por todos os que Nele creem. Que sejamos resolutos como o Senhor em cumprir a vontade de Deus.

    NÃO TEMER O SOFRIMENTO
    No Evangelho de Mateus, capítulo 17, há um segundo registro de que Ele estava determinado a ir para Jerusalém: “Reunidos eles na Galiléia, disse-lhes Jesus: O Filho do Homem está para ser entregue nas mãos dos homens; e estes o matarão; mas, ao terceiro dia, ressuscitará” (vs. 22-23). O Senhor já os havia alertado sobre o que Lhe sucederia, no entanto eles ainda não compreendiam e se entristeceram com as afirmações que Ele lhes fez.
   No capítulo 20, novamente o Senhor reafirma Seu propósito: “Estando Jesus para subir a Jerusalém, chamou à parte os doze e, em caminho, lhes disse: Eis que subimos para Jerusalém, e o Filho do Homem será entregue aos principais sacerdotes e aos escribas. Eles o condenarão à morte. E o entregarão aos gentios para ser escarnecido, açoitado e crucificado; mas, ao terceiro dia, ressurgirá (vs. 17-19). O Senhor tinha clareza de que em Jerusalém Lhe esperavam sofrimentos, mas Ele estava determinado. Que grande exemplo de determinação!
      DETERMINADOS A PRATICAR A PALAVRA DO SENHOR
     Quando recebemos revelações do Senhor, temos de nos dispor a praticá-las, a despeito das dificuldades e sofrimentos que nos esperam. Satanás sempre tentará impedir que pratiquemos as revelações vindas de Deus, fazendo com que, ao olhar para as adversidades, desistamos de prosseguir. O Senhor Jesus é o nosso grande exemplo; devemos ter perseverança e ser determinados a praticar o que Ele nos revelar.
    Há uma palavra chinesa, que se pronuncia “í”, que significa alguém determinado. Não importa o que aconteça, ele prossegue para o alvo, para o seu propósito. Como já vimos, o Senhor Jesus foi um exemplo de determinação. Mesmo sabendo que em Jerusalém Lhe esperavam sofrimento, cruz e morte, Ele foi determinado, não se importando com o que Lhe aconteceria. O Senhor seguiu resoluto; era como se Ele dissesse aos Seus discípulos: “Não importam as situações que me sobrevirão, Eu tenho de ir. Mesmo que, para cumprir a vontade do Pai, Eu tenha de ser condenado, escarnecido, açoitado e morto, ainda assim irei”. Portanto, quando temos clareza da direção de Deus para nós a respeito de qualquer coisa, não podemos ser influenciados pelas circunstâncias nem mesmo sofrer impedimentos de quem quer que seja. Devemos estar determinados a avançar para o alvo.
       No Getsêmani, um pouco antes de ser preso, o Senhor Jesus orou ao Pai, dizendo: “Meu Pai, se possível, passe de mim este cálice! Todavia, não seja como eu quero, e sim como tu queres” (Mateus 26:39). Ao dizer “se possível”, o Senhor demonstrou desejar que  houvesse outro meio de cumprir a vontade do Pai, porque sabia que a crucificação Lhe traria muito sofrimento; mesmo assim, Ele se submeteu ao Seu desígnio.
    Que em nosso viver diário venhamos a nos submeter à vontade de Deus, ainda que isso nos custe dor e sofrimento. Olhemos para o Senhor, Ele é o nosso modelo!

Assine já o Jornal Árvore da Vida. Para assinar Clique Aqui

As propagandas exibidas neste site são baseadas nos interesses do usuário, coletadas pelos mecanismos de busca durante a navegação, por isso o conteúdo delas pode variar.