Resultados da sua busca

UM LUGAR ONDE O AMOR DE DEUS ENCONTRA PLENA EXPRESSÃO

17/05/2019

O marido chegou a sua casa após um dia cansativo de visitações. Sua esposa o convidou a ir ao quarto e ao chegar ali, encontrou uma bacia com água morna, em frente a uma cadeira e, ao sentar-se, tirou ela seus sapatos e meias, e passou a lavar-lhe os pés. A princípio o marido se sentiu constrangido, por saber que seus pés estavam sujos, mas com o tempo relaxou e desfrutou das mãos de sua esposa que lavavam e massageavam seus pés. O esposo por sua vez, aproveitou a oportunidade para compartilhar com ela as palavras do Senhor que desfrutara e contar-lhe as ricas experiências que havia tido naquele dia. Esse ambiente humano-divino fortaleceu os laços do casal.

O evangelho de João nos diz que: “tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até ao fim” (João 13:1). Durante a ceia, Jesus tirou a veste de cima, cingiu-se com uma toalha, deitou água na bacia e passou a lavar os pés aos seus discípulos e a enxugar-lhos com a toalha com que estava cingido (v. 5). Então: “Depois de lhes ter lavado os pés, tomou as vestes e, voltando à mesa, perguntou-lhes: Compreendeis o que vos fiz? Vós me chamais o Mestre e o Senhor e dizeis bem; porque eu o sou. Ora, se eu, sendo o Senhor e o Mestre, vos lavei os pés, também vós deveis lavar os pés uns dos outros. Porque eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também. Em verdade, em verdade vos digo que o servo não é maior do que seu senhor, nem o enviado, maior do que aquele que o enviou. Ora, se sabeis estas coisas, bem-aventurados sois se as praticardes (vs. 12-17).
  Várias frases nos chamam à atenção na passagem acima: “tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até ao fim”. Será que temos amado os “nossos”, os que foram dados por Deus para cuidarmos? Se os temos amado, será que os temos amado até o fim? Ou será que nosso amor ainda é egoísta, parcial, condicional?

  Compreendeis o que vos fiz?”. Esta pergunta continua ecoando até os nossos dias. Será que compreendemos o que é despir-se da veste de cima? Cingir-se com uma toalha? Por água na bacia e lavar a parte suja, os pés, e enxugá-los com a toalha?
   O Senhor Jesus sendo Deus despiu-se da veste de cima, de Sua glória, da adoração dos anjos, da esfera de santidade que tinha nos céus, e cingiu-se da natureza humana representada pela toalha, produto da terra. Ele abaixou-se, isto é, humilhou-se, e desceu para lavar os pés dos seus que estão no mundo; Ele veio nos lavar da poeira, da sujeira, dos pecados e de toda contaminação que há no mundo.

   Que água Ele deitou na bacia para nos lavar? A água da Palavra (Efésios 5:27); a água de Seu nome; a água do Espírito do nosso Deus (1 Coríntios 6:11). Isaías 53:12 também nos diz que Ele derramou sua alma na morte. Ele negou-Se a Si mesmo a nosso favor. Por fim a água que Ele derramou foi Sua vida divina, quando de Seu lado, já morto, fluiu água para nos dar um novo nascimento ( João 3:3) um novo começo.
  Além disso, Jesus enxugou os pés dos discípulos com a tolha com a qual estava cingido, isto é, Ele os confortou com sua humanidade terna, perdoadora, paciente, benigna. Oh! Que conforto temos ao invocar Seu nome: ó Senhor Jesus! E experimentar Seu perdão, Seu consolo. Que consolo temos ao ler Suas Palavras: “não temais” (João 6:20); “não se turbe o vosso coração” (14:27); “tende bom ânimo” (16:33); “Paz seja convosco” (20:19).
  Por fim o Senhor disse aos discípulos: “Ora, se eu, sendo o Senhor e o Mestre, vos lavei os pés, também vós deveis lavar os pés uns dos outros. Porque eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também […] Ora, se sabeis estas coisas, bem-aventurados sois se as praticardes” (vs. 14-15, 17).

Tudo isso foi feito durante a ceia, num ambiente familiar, íntimo. Isso nos mostra que nossa casa, nosso lugar intimo, faz parte da vontade de Deus. É ali que podemos e até mesmo devemos praticar as palavras do Senhor. Nossa casa, pode e deve ser usada como um lugar onde não apenas lavamos os pés um do outro, marido e mulher, mas também onde “lavamos os pés” aos filhos, vizinhos e amigos. Nossa casa pode e deve ser um lugar de oração para receber as pessoas e orar por elas e seus problemas (1 Timóteo 5:10). Nossa casa pode e deve também ser um lugar onde podemos ajudar as pessoas a invocar o nome do Senhor e a supri-las com a palavra de Deus, a verdadeira fonte de conforto e consolo. Nossa casa pode e deve ser um lugar de oração onde o amor de Deus encontra plena expressão!

Assine já o Jornal Árvore da Vida. Para assinar Clique Aqui

As propagandas exibidas neste site são baseadas nos interesses do usuário, coletadas pelos mecanismos de busca durante a navegação, por isso o conteúdo delas pode variar.