Os jovens de hoje precisam desenvolver uma vida de oração. A oração é a atitude mais elementar de um cristão. Talvez alguns possam justificar que não podem orar por causa das muitas tarefas em que estão envolvidos: escola, vestibulares, faculdade, seminários, exames, monografias, concursos públicos, trabalho, ocupações domésticas e outras atividades afins. Mas será que o Senhor aceita essas justificativas? Os jovens precisam aprender a desenvolver a prática da oração em meio a todas essas situações. Deus concedeu a todos os Seus filhos o dom, isto é, a habilidade de falar com Ele. Jovem, gaste tempo praticando a oração. Se sua vida está abarrotada de atividades que o sufocam,não seria o caso de apresentar cada situação dessas ao Senhor?

Pela oração somos introduzidos na presença de Deus. A propósito, você sabe como orar ao Senhor sem cessar? É invocando o nome Dele. Invocar o nome do Senhor é o meio mais simples para ter uma vida de oração e, consequentemente, um viver diante de Deus. Quando praticamos isso, Ele se torna nosso desfrute, e nós experimentamos todas as Suas riquezas. Se O invocarmos com o coração puro: “Ó Senhor Jesus! Ó Senhor Jesus! Ó Senhor Jesus” e continuarmos invocando Seu nome desse modo, teremos paz e descanso interior.

Uma das muitas características do jovem é sua vida agitada e preocupação com o futuro: “O que o amanhã reserva para mim: terei uma profissão, vou conseguir um trabalho e com quem vou me casar?”É como se cada preocupação dessas fosse uma pedra atirada, durante as manhãs, tardes, noites e durante os sonhos, produzindo ondas que crescem cada vez mais, perturbando-o. Jovem, só a oração pode aquietar você. Acredite! Não queira desafiar tudo isso no “peito e na raça”. Declare sua rendição e impotência, declare que você é frágil e mortal e invoque o nome do Senhor para “sair de seu poço”. Não importa onde você esteja, seja tomando banho, à mesa do café da manhã, no ônibus, na escola, na faculdade, no trabalho, na reunião, ore ao Senhor, invoque Seu nome. Isso é básico e prático. O Senhor Jesus disse que, quando lançamos sobre Ele nossa ansiedade, descansamos, experimentamos o cuidado do Senhor assim como um passarinho, que sempre encontra alimento, e como um lírio que vestido de grande beleza espera, sem ansiedade, o orvalho que desce cada manhã para regá-lo (Mateus 6:25-34).

Quando insistimos em lutar contra as situações, declaramos nossa suficiência e independência de Deus. Nesse caso, geralmente, o Senhor permite que a intensidade dos sofrimentos aumente. Mas saiba: Deus não quer machucá-lo, Ele deseja tão-somente sua presença. Não é somente o homem que precisa do Senhor; o próprio Senhor criou o homem e deseja estar com ele e desfrutá-lo. Pergunte a qualquer pai o quanto é gratificante para ele ter seus filhos agarrados em seu pescoço, declarando o amor que sentem por ele. Diante disso, os pais, se possível, tirariam os astros dos céus para presenteá-los. Jovem, Deus ama sua presença e fará tudo para tê-lo perto Dele. Esse é Seu contentamento.

Na oração, precisamos ainda mais ouvir o Senhor do que falar algo a Ele. Muitas vezes fazemos da oração um monólogo em que somente nós falamos. Não damos oportunidade a Deus de responder às dúvidas, de dispensar mais de Sua vida, e de infundir Sua graça que produz em nós a capacidade para superar as situações que o Senhor ainda permite com o propósito de gerar lições de vida e manter-nos por perto.

Quando oramos, descobrimos o desejo do Senhor. Todos nós temos um desejo profundo guardado no coração; Deus também tem o Dele, que é salvar todos os homens (1 Timóteo 2:4). Mesmo os que já foram salvos, ainda precisam receber salvação diariamente. Você já observou quantas coisas tentam sufocar a vida que recebeu de Jesus e seu crescimento espiritual? Quando temos a prática de orar em todo lugar , o lugar onde estamos não irá nos intimidar. Se você está em um lugar onde não sente liberdade de orar, mesmo em silêncio, é melhor considerar se realmente é um lugar onde você deveria estar; talvez você esteja correndo o risco de ser influenciado negativamente.

A ausência da prática da oração resulta em um coração cheio de vaidade. O homem foi feito para ser preenchido por Deus. A comunhão e a oração abrem o caminho para Deus encher o homem. Entretanto, se um jovem está vazio das coisas divinas, as grifes, a moda, a gíria, o viver superficial e o comportamento mundano acharão brechas para entrar nele.

Por fim, a prática da oração produz, no coração de quem ora, um desejo de consagra-se ao Senhor e de cooperar com Ele em Sua casa. Pensamos que não há nada a fazer, mas faça uma lista e veja quantos de seus amigos ainda não têm o Senhor, quantos irmãos em Cristo estão afastados ou frios. Se você, jovem, começar praticando somente isso, vai realizar uma excelente obra. Que tal pregar o evangelho, apascentar os irmãos e servi-los? Esperamos que, ao levar esses assuntos ao Senhor, em oração, você possa ouvi-lo falando a você em cada aspecto de seu viver.

Assine já o Jornal Árvore da Vida. Para assinar Clique Aqui